Pular para o conteúdo principal

A Principal Qualidade do Professor do Século XXI


Os tempos mudaram, e as gerações atuais pensam e vivem de forma bem diferente das gerações das décadas anteriores. A conexão digital traz respostas imediatas às dúvidas, os conteúdos são apresentados de forma qualitativa e diversificada, e, por isso mesmo, os papéis da escola e do professor também se renovam.

O professor não precisa ter todas as respostas, nem mesmo ser um “transmissor” de informações. Ele é hoje um “orientador” nesse processo fantástico que se chama aprendizagem. Mas, por falar em aprendizagem, como andam os resultados do Brasil? As avaliações de aprendizagem feitas por organismos nacionais (ENEM) e internacionais (PISA) apontam que a escola brasileira fracassa ao tentar manter os encaminhamentos e as metodologias arcaicas do passado.

Em 2015, setenta países participaram do Programme for International Student Assessment (PISA), o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, que a cada três anos avalia o desempenho de alunos na faixa dos 15 anos, priorizando Matemática, Leitura e Ciências. O resultado saiu em dezembro de 2016, e no ranking o Brasil ficou na 63ª posição em Ciências, na 59ª em Leitura e na 66ª em Matemática.

As avaliações do ENEM e do PISA, por exemplo, priorizam as aplicações de conhecimentos às situações práticas da vida, deixando evidente a desordem de metodologia e encaminhamento. É necessário repensar o desafio da aprendizagem, que hoje precisa estar centrada em tornar o aluno capaz de dar sentido às coisas, compreendê-las e, o mais importante, contextualizá-las.

Esta semana eu conversava com uma aluna do 8º ano do Ensino Fundamental, a qual, por uma questão ética, vou chamar de “Maria”. Ela tentou calcular a quantidade de água que deveria ser consumida pela família toda (5 pessoas) durante o período de um mês, supondo que cada um dos membros da família consumisse 2 litros por dia, conforme recomendado pelo nutricionista. A pergunta era: quantos galões de água (de 20 litros) serão necessários por mês (30 dias) se cada membro da sua família (5 pessoas) consumir 2 litros de água por dia? O Resultado? Maria não conseguiu calcular. Deu várias respostas equivocadas, mas na realidade não pôde efetuar os cálculos. Esse tipo de problematização é um exemplo clássico de atividade proposta pelas avaliações nacionais e internacionais, e a dificuldade de Maria é a da maioria. Tudo isso nos faz crer que a escola precisa desesperadamente se reinventar, abrir espaços para as inovações no campo metodológico, e essa mudança passa por um dos principais atores desse processo, o professor.

E isso suscita a questão: qual a principal qualidade do professor do século XXI? O que ele precisa trazer consigo para ser efetivamente um inovador em seu meio de atuação nesse novo milênio? O sábio filósofo Cortella aponta a necessidade de esse professor ter dentro de si a chamada “INSATISFAÇÃO POSITIVA”, que é a qualidade de sempre querer mais e melhor, mas não a qualquer custo, muito menos apenas para si, e sim para todos. 

No caso do professor, quando há essa inquietação, ele tenta se reinventar, busca excelentes resultados em seu trabalho, mesmo em escolas mais tradicionais e estáticas. Essa insatisfação positiva o leva a avaliar os próprios limites, com o objetivo claro da superação, que direciona o olhar para o problema em busca de uma solução.

Professor, 2017 chegou. O ano se renovou, mas algumas questões urgentes permanecem. Uma delas é não se acomodar com o alarmante quadro do ensino apontando as dificuldades gritantes dos alunos com Leitura e Interpretação, Raciocínio Lógico Matemático, bem como a falta de conhecimento prático em Ciências.

É preciso lançar mão da INSATISFAÇÃO POSITIVA”, aquela que nos mobiliza intensamente para buscar soluções quanto a como orientar as melhores rotas de aprendizagens, de forma que façam sentido e tragam expriências significativas, aquelas que serão naturalmente “importadas” por nossos alunos (levadas para dentro da memória de longo prazo) e trarão resultados satisfatórios para muito além de apenas um PISA ou um ENEM, pois desenvolverão potencialidades de forma brilhante e trarão o sentido maior do aprender sempre e evoluir.
Para concluir, uma frase de Henry Adams: “Professores tendem à eternidade; nunca poderão saber onde termina sua influência”.

Que 2017 seja marcado pela nossa influência e pela nossa INSATISFAÇÃO POSITIVA!



Comentários

  1. Oi Andrea, conversavamos sobre isso nessa semana, hoje essa geração tem uma dificuldade de raciocínio lógico, gravar informações. Muitas vezes temos a tecnologia e perdemos a capacidade de usar o nosso cérebro. Usamos somente a inteligência artificial. GPS pra me levar num endereço lógico, uma rua quje as vezes sempre fizemos. Números de celulares não sabemos nem o número dos nossos pais ou o fixo de casa. Uma conta tão básica quanto a quantia dos galões. Se estou certa foram 15 galões mês... Mas foi uma tarefinha parar meu mundo e calcular tudo manualmente... Gostei desse tema.. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda, amiga querida, sua observação muito pertinente. Tenho enorme satisfação de ver a sua inteligência e maturidade, além do lado humano, que é fantástico!

      Excluir
  2. Kátia Ajuz "Que 2017 seja marcado pela nossa influência e pela nossa INSATISFAÇÃO POSITIVA!"
    Muito bom Andréa!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Luthier Gustaff Schildt A velha escola teve seus méritos em tempos que o conhecimento estava abarcado em livros e na prática ou teoria proferida pelos professores. Isso ainda existe, mas vejo que é complementar à toda sorte de fontes de conhecimento. Me lembro de ter visto alguns videos que ensinam métodos de cálculo mais intuitivos e que efetivamente atuam no aperfeiçoamento do raciocínio logico de forma mais resoluta na função que se espera. Eu aprendi a decorar formulas ...SIC..eficiente a um teste, mas irrelevante a aplicações de hoje e sequer lembro delas. Com esse exemplo sempre me questionava se não haviam modos diferentes de se aprender. Creio que seu artigo elucida isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Luthier Gustaff Schildt, existem "n" formas de ensinar, mas falta espalhar😉

      Excluir
  4. Crisfamily Pereira É isso! Que estejamos insatisfeitos!

    ResponderExcluir
  5. Sandra Reigota Amei o texto e já compartilhei com outros professores

    ResponderExcluir
  6. Leilane Soares Amei o texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que feedback fantástico, Leilane Soares.Digo isso porque sei da qualidade das suas leituras e da profissional maravilhosa que és😘. Muito grata.

      Excluir
  7. Silvana Lucina Silva Andréa Li o texto gostei muito e vejo que as escolas deixaram de humanizar e passaram a se preocupar mais com o lado tecnológico. Concordo que com o avanço a tecnologia isso deve ser tolerável e até buscado, mas a humanização faz-se necessária para que haja a aprendizagem quase plena de nossos alunos. Como profissional na área de humanas, vejo com clareza a insatisfação positiva, enfim devemos prestar mais atenção nas necessidades dos alunos e adequar as várias formar de ensinar, nos preocuparmos em humanizar mais e atender essas necessidades....parabéns pelo texto, vc é muito especial����

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga, Silvana Lucina Silva, admiro a grande profissional que és. Tens toda razão, a humanização é fundamental e por meio dela é que podemos orientar as melhores aprendizagens. Bj e obrigada por participar😉😙

      Excluir
  8. Euler Peron Muito bom Amiga, mais do que ter essa "insatisfação" saber acendê-la nos alunos e nas pessoas é fundamental. O Professor em seu papel de orientador é o grande vetor nessa nova era. Lembro de meu Pai Eduardo Peron, meu primeiro professor, que desde sempre teve essa iniciativa de acender isso em nós. Hoje a busca pelo conhecimento e pela sua constante construção é pedra fundamental em nossas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Euler Peron, de fato seu pai conseguiu, você é um insatisfeito positivo, um profissional espetacular que além de analisar bem, tem uma celeridade para as soluções que é própria dos sábios que idealizam enquanto realizam. Muito te admiro.

      Excluir
  9. Nilze Mary Muito bom!��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nilze Mary, muito obrigada por participar e deixar registrado o seu parecer. Bjs

      Excluir
  10. Rosangela Amadei Duarte - ����������Muito bom!��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida Rosangela Amadei Duarte😘

      Excluir
  11. Lilian Luitz - Adorei!!! Bem pertinente para pensar 2017

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida, Lilian Luitz, muito grata pela sua apreciação que tem um grande valor para mim. Bjs e sds.

      Excluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Pedro II abre concurso federal para professor

Segue até o próximo dia 17 as inscrições para o concurso para preenchimento de vagas para novos professores no tradicional Colégio Pedro II. São 14 cargos efetivos nos ensinos Básico, Técnico e Tecnológico. Além disso os organizadores aproveitam para criar um banco de reservas para cada disciplina oferecida.
As inscrições são somente virtuais pelo site www.cp2.g12.br. Após preencher a ficha é necessário imprimir a GRU - Guia de Recolhimento da União - e efetuar o pagamento da taxa no valor de R$ 160,00. O concurso terá validade de 1 ano e poderá ser prorrogado por igual período.
Pertencente ao Governo Federal, o Pedro II é o terceiro colégio mais antigo do país ainda em atividade, depois do Ginásio Pernambucano e do Atheneu Norte-Riograndense. O Pedro II tem 13 mil alunos que estudam em 14 campi, sendo 12 no município do Rio de Janeiro, um em Niterói e um em Duque de Caxias, além de uma unidade de educação infantil.
Salário pode dobrar com titulação profissional O salário básico é de R$ 4…

Passo a passo para utilizar o Benefício Boa Viagem

Olá, associado! Ainda tem dúvidas em relação ao Benefício Boa Viagem? No post de hoje vamos esclarecer essas questões e ainda mostrar o passo a passo de como utilizar este benefício.
1 – Leia o Regulamento O primeiro passo é ler o regulamento e ficar atento às regras, cláusulas e condições do benefício. O regulamento está disponível em: http://www.appai.org.br/beneficio-boa-viagem.aspx
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Regulamento

2 – Pousadas Conveniadas O associado e beneficiário, regulares na Appai, deverão verificar os hotéis e pousadas no Guia do Associado ou em nosso site e fazer a sua escolha. São diversas opções de roteiros, que vão desde a calmaria da região serrana até as mais belas praias do Estado do Rio de Janeiro.
Site da Appai → Benefício Boa Viagem → Destinos e Pousadas

3 – Reservas Depois de escolher o destino e a pousada de sua preferência, o associado e/ou beneficiário deverão entrar em contato diretamente com o estabelecimento conveniado para fazer a reserva de estad…

A construção da imagem de Tiradentes

Uma abordagem básica possivelmente revelará que Tiradentes é o herói preferido dos brasileiros, ficando à frente de nomes de grande apelo popular, como o líder Zumbi dos Palmares ou o arrojado D. Pedro I. Apesar de a história popularmente divulgada do Mártir da Inconfidência estar repleta de elementos de valor universal, como os ideais de liberdade e justiça, o fato é que a boa imagem do inconfidente é fruto da tentativa de acomodar esse momento da história aos objetivos de quem esteve nas proximidades do poder.
Foi na República que a imagem de Tiradentes começa a ser trabalhada de forma consciente e intencional. O movimento militar, de base positivista, que derrubou a Monarquia tinha em mente o objetivo bem explícito de atuar no imaginário da população, reduzindo a influência que o sistema colonial imprimira ao longo de mais de três séculos. Tiradentes era alferes, lutava pela instalação de um regime republicano e único condenado à morte na conspiração. Elementos, portanto, bastante i…

Para além do “terra à vista”

A “certidão de nascimento do Brasil”. É como um certo senso comum habituou-se a classificar a carta escrita pelo escrivão da expedição comandada por Pedro Álvares Cabral, que contém os primeiros e mais significativos relatos sobre a terra e seus moradores. A fama e a importância historiográfica que acabou sendo atribuída a esse documento acabariam por ocultar o fato de que uma série de outros registros igualmente importantes e informativos foi produzida nos anos próximos a 1500, data em que se deu o “achamento” das terras. Alguns desses textos revelam pontos relevantes, que têm ajudado a compor o quadro tanto quanto possível real do singular encontro entre contextos tão diferentes.
Há inclusive registro de um documento anterior à própria partida das naus cabralinas, um relatório redigido por Vasco da Gama, que deixa clara uma anterior experiência do pioneiro navegante pelas águas que seriam singradas pelas frotas de Cabral. Um detalhe importante vem à tona nesse escrito. Em meio a inst…

Quem é o NATIVO DIGITAL que o PROFESSOR vai encontrar na escola?

.Os professores que atuam, hoje, conhecem bem as características dos alunos com quem vão topar nas escolas?
Para que você possa compreender e mergulhar nesse texto conosco, descubra antes a qual geração você pertence, analisando os dados abaixo:
Geração dos Baby Boomers (nascidos no período do pós-guerra, entre 1946 e 1960) Geração X (nascidos entre 1960 e 1980) Geração Y (nascidos entre 1980 e 1995) Geração Z (nascidos depois de 1995)
Agora que você já se localizou, vamos avançar compreendendo quais gerações fazem parte do grupo chamado “NATIVO DIGITAL”.
Da geração “Y” para frente é que a tecnologia digital foi se tornando presente por meio de videogames, Internet, telefone, celular, MP3, iPod. Portanto, é a partir dessa geração que a classificação “Nativo Digital” passou a existir.
Conheça o conceito de Nativo Digital (ND), formulado pelo próprio autor da expressão, Mark Prensky (2001), especialista em Tecnologia e Educação, pela Harvard School:
“Nativos digitais são aqueles que crescer…