Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Quantos são quatro mais três? Pensando fora da calculadora…

Na coluna da semana passada conversamos sobre a diferença entre Competência e Desempenho, baseados nas ideias do sábio Moretto*. Hoje vamos dar sequência ao tema destacando para o modelo criado por Vasco Moretto para explicar o conceito de competência aplicada aos professores. Como Vasco é adepto das ideias do estudioso russo, Vygostsky, ele chamou o seu trabalho (de forma criativa e humorada) de Modelo Waskowsky Morettowsk, para homenagear o russo.
Observe a imagem que representa o Modelo de Vasco:


















Para que eu possa explicar o modelo Waskowsky Morettowsk, vamos recordar o conceito de competência elaborado pelo próprio Moretto. Competência é “a capacidade de um sujeito de mobilizar recursos visando abordar e resolver situação complexa”. E é o próprio Moretto que pergunta e responde: Quais são as situações complexas que o professor necessitará resolver em sua profissão? São três: Planejar aulas, Ministrar aulas e Avaliar a aprendizagem. Ele enfatiza que é preciso que o professor seja com…

Você professor é contra ou a favor do fim dos trabalhos de casa?

Imagina não ter mais “dever de casa” (como se falava antigamente) ou trabalho extraclasse (eufemismo atual)? Para muitos profissionais de ensino, pode ser um alívio na sobrecarregada jornada de trabalho reduzindo a elaboração das tarefas e as respectivas correções. Para outros educadores, pode representar o desmonte do processo de ensino atual, baseado na fixação e na pesquisa complementar.
Não podemos deixar de ressaltar que essas atividades “extraclasse”, principalmente nas séries iniciais, funcionam como um elo de aproximação entre os pais e o processo de aprendizado dos filhos, através do auxílio dos responsáveis na elaboração do trabalho caseiro. E ainda: essa atividade auxilia o estudante na construção de uma relação de responsabilidade e cumprimento de prazos.

Alunos comemoram essa decisão
Enquanto professores mais tradicionais defendem que a “lição de casa” possui uma função pedagógica de suma importância, para a maioria dos alunos a notícia pode surgir como uma libertação. Entre…

Os antigos creram nas bruxas

As bruxas em geral são conhecidas como personagens típicos da Era Medieval, quando protagonizaram os casos mais incríveis de acusações e foram presença constante nos ritos de condenação às fogueiras. Mas a ideia de mulheres amaldiçoadas, relacionadas a poderes mágicos e malignos, é muito anterior à Idade Média. Na mitologia e na cultura gregas, por exemplo, personagens como Medeia e Circe já aparecem relacionadas a possíveis dotes sobrenaturais, que podiam ser voltados para o mal. Na cultura romana, Diana, a guardiã dos bosques e dos animais, era associada a poderes misteriosos enquanto exercia sua influência sobre as lendárias mulheres amazonas. A própria cultura hebraica, base histórica das crenças cristãs, não deixou de registrar seus casos: o Velho Testamento mostra o rei Saul, numa de suas muitas crises de dúvida e indecisão, procurando uma feiticeira de nome Endor, mesmo sendo a consulta a esse tipo de intercâmbio com o sobrenatural considerada uma grave ofensa à lei de Moisés. …

Desempenho escolar focado nas competências e habilidades

Vasco Moretto é mestre em Didática das Ciências pela Universidade de Laval, Québec, Canadá. Também é um estudioso que se debruçou sobre o tema da “competência na escola”. Com entusiasmo ele abre a sua palestra no Congresso Internacional de Educação, no Rio Grande do Sul, que traz por título: “Desempenho escolar focado nas competências e habilidades”. Inicia enfatizando que o objetivo maior dessa conversa é clarear o conceito de competência e também mostrar como aplicar tais conceitos no dia a dia da sala de aula.
Moretto chama a atenção para os modismos e paradigmas próprios da educação. Salienta que de repente está em foco o Construtivismo, com Piaget, e todos se denominam construtivistas e sem entender bem o que é essa filosofia. A conclusão é que acabam por não dar o devido valor e até a achar que não há resultados nesse método.
O tempo passa e entra em moda o sociointeracionismo, com Vygostsky. Novamente os conceitos e práticas acabam se distanciando da realidade, e assim vai caminh…

Hans Staden: uma incrível história nas selvas do Brasil

Desde os primeiros contatos dos europeus com os povos nativos da América as imagens de estranhamento se destacam, levando os recém-chegados a uma série de visões e julgamentos com relação ao que encontraram. Dentre essas impressões uma salta aos olhos: a identificação de atos tidos como selvagens, com destaque para a prática, para os europeus abominável, da antropofagia. Em um dos primeiros textos escritos sobre o tipo de vida dos nativos do Brasil, Américo Vespúcio já destaca algumas características que impressionam os visitantes e descreve o costume dos indígenas de devorar seus semelhantes, situando-o entre os itens que poderiam comprovar a sua inferioridade cultural. Relatada como aberração ao lado de outros aspectos apontados como positivos, a antropofagia é encarada desde o início como um hábito altamente agressivo aos costumes europeus, mas seu impacto não inibe a ideia de paraíso e de oportunidade de reconstrução de uma ordem edênica a partir do “achamento” de um mundo novo.
Os…

Professor ensina matemática usando o Pokémon Go

De professores criativos a Revista Appai Educar entende. Afinal, a cada edição é um projeto mais bacana que o outro e que serve como inspiração para os demais educadores.
E, é claro, não podemos deixar de compartilhar por aqui também iniciativas de docentes de todo o Brasil. O professor Eddy Antonini, do interior de São Paulo, publicou um vídeo em que ensina matemática usando como referência o aplicativo Pokémon Go.
O jogo, que virou uma febre mundial, pode tornar-se, para os educadores mais otimistas, uma ferramenta aliada no ensino dos jovens dentro das salas de aula.
O vídeo foi postado originalmente no canal do professor no YouTube e depois republicado em diversas páginas no Facebook.
Na aula, Eddy traz conceitos de trigonometria usando o mapa do game.
Na próxima edição da Revista Appai Educar (nº 101), vamos trazer uma matéria exclusiva na versão on-line, mostrando como os professores estão encarando esse novo desafio do uso pedagógico do Pokémon Go no ambiente escolar versus os muito…

Como a fotografia dividiu o mundo das imagens

DDa pintura como única forma de reproduzir o que os olhos presenciavam até as modernas maneiras de registrar a realidade, a fotografia descreveu uma trajetória cercada de muitas discussões a respeito do lugar que essa atividade deveria desempenhar no cotidiano das pessoas e no engrandecimento da cultura. O inventor francês Louis Daguerre foi o primeiro a criar algo que sugerisse a substituição dos artistas como forma de reproduzir visualmente a realidade. Em 1839 é anunciado o daguerreótipo, o primeiro ancestral das máquinas fotográficas. Na verdade muitos pesquisadores autônomos já haviam trabalhado e obtido alguns êxitos em desenvolver maneiras de reproduzir a imagem.
O mérito de Daguerre foi desenvolver uma máquina que dava início ao que iria se transformar numa das características que mais colaborariam para a popularização do ato de retratar: a possibilidade de cada pessoa poder utilizar sua própria câmera e produzir suas imagens, em substituição à habilidade individual de artistas…

O que você precisa saber sobre o plástico

Você consegue pensar na sua rotina atual sem o uso de plásticos? Celular, escova de dentes, partes do carro, peças do computador, utensílios de cozinha, brinquedos de criança… tudo tem plástico e não é por acaso.
Ao longo das últimas décadas, o material entrou com peso em diversos ramos industriais (construção civil, eletrônica, embalagens, móveis etc.), substituindo metal, vidro, cerâmica, madeira e papel devido a algumas vantagens, como facilidade de transporte e de processamento, o menor consumo de energia e a grande durabilidade.

Além disso, o plástico reduz o consumo de combustível no transporte e mantém os alimentos frescos por mais tempo, reduzindo o desperdício. Apesar desses benefícios, trata-se de um material que pode causar grandes impactos ambientais se consumido em excesso e se for descartado de modo incorreto.



O que o mau uso do plástico pode gerar
Embora quase todos os plásticos utilizados para as embalagens sejam mecanicamente recicláveis, é comum a banalização de seu …